Saiba o que fazer quando a empresa está enfrentando uma crise financeira.

December 19, 2017

 

Com o ano chegando ao fim, tendemos a realizar uma análise do que vivenciamos e consequentemente sobre nossas possibilidades financeiras, para o próximo ano.

...Mas... E quando chegamos a conclusão de que a empresa está passando por um processo de crise financeira, o devemos fazer?

 

Bom, sem mais delongas, primeiramente precisamos manter o nosso fluxo de caixa, ainda mais organizado para termos clareza nas decisões que precisam ser tomadas, para que este processo de crise, passe da forma mais "saudável" possível sobre seu negócio!

 

Não tenha vergonha em negociar!

Muitas vezes tendemos a esgotar todo tipo de solução a curto prazo, antecipando recebíveis e até busca por empréstimo para sanar momentaneamente o problema. A reação é logica, e não transparece a dificuldade para parceiros e colaboradores, mas muitas vezes insuficiente, pois tende a "mascarar" o problema a longo prazo. 

 

Entretanto, quanto mais cedo sentarmos para negociar prazos com parceiros e fornecedores, melhor! Pois, se os recursos de seu fluxo forem bem colocados, a relação com quem negociou sairá fortalecida após esta turbulência. (Famoso ditado, "O combinado não sai caro", se enquadra perfeitamente aqui).

 

Por fim, precisamos calçar os sapatos dos parceiros, para assim, sentirmos onde o calo aperta os pés. O pios para eles, é haver a expectativa de recebimento e sem comunicação não receber!

 

A negociação evita problemas de fornecimento e também excesso de cobrança num momento complicado, tirando a paz de qualquer pessoa.

 

"Quando tomamos a atitude de negociar com fornecedores, a empresa fica com a reputação mais fortalecida, pois, transparece maturidade na gestão financeira."

 

Aumentar as vendas nem sempre é a solução!

Normalmente pensamos, fluxo de caixa é controle de entrada e saída de dinheiro, se entrar mais vendas, ótimo, certo? As vezes não!

 

Porque? Pois, as vendas necessitam de algum capital de giro para acontecer, e muitas vezes pela situação do fluxo, pode não haver este capital disponível, ou pior, assume contratos de riscos, onde possa acontecer inadimplências e/ou baixa rentabilidade e compromete ainda mais a liquidez do seu fluxo, comprometendo o funcionamento da empresa. 

 

Nesta situação, pensar em diminuir vendas, causa espanto, mas tenha em mente que tudo depende de uma análise fria e calculada, podendo ser importante diminuir os riscos e enxugar a carteira de clientes, equacionando a curva de margem e índice de inadimplência.

 

Por outro lado, para fazer sentido todo esse movimento de vendas, será necessário reestruturar os custos e gastos.

 

"Acredite, neste momento é necessário ponderar esta possibilidade, pois vendas demandam de algum capital de giro, que possivelmente seu fluxo não o tenha."

 

Reestruturação de custos e gastos!

Caso você tenha lido até aqui, que algo lhe fez sentido. E a reestruturação de custos e gastos, é tão importante quanto qualquer outra situação já mencionada acima.

 

Pois, se mexemos no volume de vendas, precisamos compensar e alinhar toda a estrutura de custos e gastos financeiros.

 

Esta reestruturação terá que ter como base, coisas que custam e coisas que não custam. Por exemplo: Mandar embora funcionários, terá um custo a curto prazo, pois deverá arcar com rescisões. Agora, rever contratos com fornecedores visando uma economia financeira não terá custo e reverterá significativamente em fluxo, aumentando gradativamente o caixa, gerando possibilidade de redução de custos que gastem.

 

"Se houve alteração no seu volume de vendas, há a necessidade de alteração também em seus custos. Para que tudo se torne compatível com a realidade do fluxo de caixa atual."

 

Na pratica o que pode ser feito?

Se você tem problemas de caixa, faça antes de tudo a reflexão: esse problema é tático, por conta da inadimplência dos clientes ou baixa nas vendas, ou estrutural, por conta da viabilidade econômica de sua empresa?

 

Se a resposta for de nível tático, faça o planejamento e a projeção do caixa (budget), desenhe um processo de cobranças, não tenha medo de negociar com os fornecedores e reestruture os gastos para a operação ficar mais enxuta;

 

Se o problema for estrutural, revisite seu modelo de negócios. É preciso fazer uma análise do cenário atual e futuro do seu mercado, considerando a concorrência, as forças de mercado e as tendências de mercado.

 

Em seguida é muito útil utilizar a ferramenta Canvas da proposta de valor. Por fim, defini-se as prioridades e otimizações que serão implantadas e os indicadores para acompanhamento e atingimento das metas.

 

Para isso, tenha ao seu lado um consultor BÊ À BÁ dos negócios capaz de te dar suporte estratégico na tomada de decisão, com conhecimento avançado em planejamento e desenvolvimento de negócios.

 

"É em momentos de crise que o empreendedor tem maior responsabilidade de assumir o leme do barco, e doar o seu melhor."

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Featured Posts

Expansão de franquias em função da escalabilidade

January 3, 2019

1/1
Please reload

Recent Posts

February 5, 2019

Please reload

Archive